top of page

Ki Tetzei - Os fins não justificam os meios - Éticas de guerra da Torah.


Uma máxima popular diz que "O Fim justifica os meios". A implicação é que as regras de conduta adequada podem ser suspensas ao lutar no campo de batalha e ao jogar no campo do romance. A Torá discorda.

"Quando vocês guerrearem contra os seus inimigos e o Senhor, o seu Deus, os entregar em suas mãos e vocês fizerem prisioneiros,um de vocês poderá ver entre eles uma mulher muito bonita, agradar-se dela e tomá-la como esposa." Dt. 21:10,11

De acordo com a Torá, nem tudo é justo no amor ou na guerra. A porção da Torá da semana passada definiu certas leis de conduta para a guerra. A porção desta semana da Torá apresenta a perspectiva de romance no campo de batalha.

A Torá reconhece que os soldados de um exército conquistador provavelmente serão tentados a levar mulheres cativas, mas proíbe agir por impulso. Em vez disso, a Torá exige que uma mulher cativa receba dignidade e honra. Ela deve ter permissão para chorar por seus pais. Ela deve receber a honra do casamento. Ela não deve ser tomada à força; ela vai se casar e receber o status de esposa. Ela não pode ser tratada como uma escrava, nem pode ser vendida.

Antes que o soldado conquistador consuma seu desejo e se case com a mulher, ele deve permitir que ela chore a perda de sua família por um mês inteiro. Durante esse período, ela deve raspar o cabelo da cabeça e (de acordo com de Rashi do hebraico) deixar as unhas cra leitura escerem.

Raspar a cabeça e deixar as unhas crescerem são aparentemente rituais de luto da época. No entanto, Rashi sugere outra razão para sua aparência despenteada e sem pelos. Ele afirma que as leis da Torá estão tentando dissuadir o homem de se casar com a mulher cativa, fazendo-a parecer repulsiva para ele. O mês de luto é como um período de espera de trinta dias durante o qual o homem tem tempo para reconsiderar suas intenções. Ele realmente quer se casar com a mulher careca e chorosa de unhas compridas? Se ao final dos trinta dias o homem decidir que não está satisfeito com ela e não quer se casar com a mulher, ele deve deixá-la ir em liberdade.

A sabedoria da Torá neste assunto nos ensina vários princípios que se aplicam a todo relacionamento romântico. Uma pessoa nunca deve se casar com pressa. Amor à primeira vista não é amor verdadeiro. Antes de se casar, a pessoa precisa de um tempo para ver além do fascínio sexual e da névoa da luxúria da outra pessoa. "A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada." (Provérbios 31:30)

Essas instruções nos ensinam a conter nossos desejos naturais e a lembrar que a pessoa por quem nos sentimos tão atraídos é, afinal, outro ser humano, não um objeto sexual.

Além disso, as instruções relativas à mulher capturada nos ensinam que o sexo antes do casamento nunca é permitido.

Até o soldado do campo de batalha teve que adiar a gratificação por trinta dias e esperar até que o documento do casamento fosse assinado.

"Quem segue a justiça e a lealdade

encontra vida, justiça e honra."

Provérbios 21:21

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page